AS NOSSAS RESPOSTAS ÀS SUAS PERGUNTAS

Porquê escolher um vagão automotor?


O vagão automotor é certamente a solução mais flexível e eficiente para reduzir o tempo dedicado às operações de carga, mistura e descarga do TMR. Existem muitas razões para mudar para um automotor Storti . Seguidamente listamos algumas: O automotor condensa o trabalho de 4 veículos, trator, vagão misturador, desensilador e carregador telescópico, com uma economia clara nos custos de manutenção, número de operadores necessários para realizar as operações de alimentação e a não menos importante economia de tempo. O automotor não é uma escolha que o vincule para o futuro, adapta- se a qualquer tipo de estábulo sem modificações estruturais. A eficiente fresa frontal com sistema FPS garante a carga de qualquer tipo de produto de forma precisa e rápida, sem arruinar a estrutura do produto. O automotor tem um valor residual importante mesmo à distância de muitos anos. Gestão de todas as operações de alimentação confortavelmente sentados na cabina sem o constante sobe-e-desce entre diferentes veículos. Os nossos clientes que se mudaram de atrelados para automotores reduziram em 40% o tempo dedicado à alimentação, melhorando também a qualidade e a precisão da produção do TMR.

Qual é a diferença entre um vagão horizontal e um vertical?


O vagão misturador é uma ferramenta de trabalho que deve ser adaptada à criação destinada, como:
– tipo de criação, carne, leite…
– Forragens existentes e tipo de conservação e armazenamento
– hábitos e crenças do gestor da exploração agrícola
– força de trabalho disponível

Feita esta premissa, existem muitas diferenças entre a mistura horizontal e a vertical;
– Corte: o vagão horizontal é mais rápido com um corte preciso da ração fibrosa.
– Mistura e suavidade: o vagão vertical possui uma mistura mais macia e volumosa.
– Descarga: o horizontal tem um fluxo mais constante e preciso, o vertical tem uma descarga com um fluxo por impulsos.
– Dimensões: os vagões horizontais são geralmente mais baixos e mais compactos, usufruem melhor do volume e têm acesso fácil à traseira.
– Capacidade de carga: enquanto os vagões horizontais têm um limite de tamanho de cerca de 24 m³ e adaptam-se tanto às misturas pequenas como às grandes, os vagões verticais atingem um volume de até 44 m³ mas precisam de uma quantidade mínima que garanta a cobertura dos eixos helicoidais para ativar um fluxo de mistura eficiente.

Porquê a transmissão mecânica Mech Drive?


É uma questão de física! Qualquer transformação comporta perdas de energia, quanto mais transformações ocorrem na transmissão, maiores são as perdas de energia. Imagine agora que o movimento obtido com o motor a diesel é transformado num fluxo de óleo hidráulico que depois circula dentro dum circuito e é então reconvertido num movimento rotativo por um motor hidráulico; isto é o que acontece na transmissão hidráulica, como pode bem intuir todas estas transformações deixam para trás uma enorme quantidade de energia perdida, em calor e perdas de carga etc, etc.
A Storti foi a primeira a compreender a importância de reduzir os custos de gestão e o consumo de combustível, razão pela qual equipou toda a gama de automotores com uma transmissão mecânica Mech Drive altamente eficiente que, ao contrário das transmissões hidráulicas, converte o movimento de saída do motor térmico através de uma caixa de velocidades por cascata de engrenagens, assim, toda a potência chega ao misturador com muito poucas perdas, resultando numa poupança considerável de combustível, numa quantidade reduzida de óleo hidráulico e em intervalos de manutenção mais longos.

O que é o OVERBOOST?


O overboost é um comando colocado na cabina dos nossos automotores e que imprime uma aceleração à rotação dos eixos helicoidais verticais, na prática é um ciclo de limpeza no final da descarga para evitar a contaminação entre uma carga e outra.

Como funciona o sistema FPS?


O sistema FPS ou Fiber Pick Up System é uma das características distintivas da fresa dos automotores Storti e permite carregar eficientemente todos os tipos de produto, selecionando a rotação da fresa no sentido horário ou anti-horário, dependendo do material a carregar. Com a fresa FPS, até o feno mais longo e tenaz é carregado girando a fresa para cima, de modo a levantar o produto e a pré-triturá-lo na contralâmina superior, de modo a evitar o bloqueio do rotor durante a fase de carga. A ensilagem de erva ou milho é, por sua vez, carregada com uma rotação do rotor para o fundo e, graças a um eixo helicoidal transportador atrás da fresa, é evitado o efeito de reciclo das fresas em espiral. Desta forma, as lâminas da fresa passam apenas uma vez na silagem sem danificar a estrutura do milho. Na prática, o cortador funciona apenas como um raspador do produto sem o cortar ainda mais.

O vagão automotor HS 40 km / h serve para mim?


O automotor HS 40 km / h é sobretudo adequado para os que usam o vagão misturador mesmo para longos deslocamentos por estrada de uma empresa para outra. Atividade típica dos subcontratantes ou das cooperativas que compartilham o uso do automotor por várias explorações.

Qual é a diferença entre os modelos EVO e IIIa?


A Comissão Europeia está empenhada desde 1999 em resolver o problema das emissões poluentes através da Directiva 97 / 68 / CE. A directiva está principalmente centrada em PM (Particulate Matter – Particulados) e NOx (Nitrogen Oxides – Óxidos de azoto) e foi definida e alterada através da promulgação de vários Stage. O Stage IV entrou em vigor em 2014 e prevê a eliminação quase total dos NOx. Isto oferece a oportunidade de melhorar a nossa abordagem ao meio ambiente, continuando contudo a fornecer produtos de alto desempenho. O modelo EVO é equipado com motores Stage IV conforme exigido pelos padrões europeus, além disso tem a gestão de todos os comandos em CAN bus tecnologia que permite ter sequências de comandos inteligentes e automatizados, bem como diagnósticos com mensagens claras e definidas no ecrã da cabina.

Dunker T1 – T2 – T3 S, L, Split. Qual é a diferença?


As diferenças entre Dunker S e L é principalmente o diâmetro dos eixos helicoidais verticais; S significa Small (base estreita), enquanto L significa Large (base larga). Ter dois diâmetros diferentes leva a muitas outras diferenças técnicas, tais como:
Redutores, mudanças e cardãs: à medida que o diâmetro aumenta, também o tamanho do redutor e de toda a transmissão aumentam.
A versão L permite ter uma máquina mais baixa para a mesma cubagem.
O quadro: claramente a versão L está dimensionada para atingir dimensões cúbicas maiores, portanto o quadro, os eixos, as rodas e o sistema de pesagem estão dimensionados para atingir volumes maiores.
Enquanto a versão Split é a versão S com o tanque parcialmente removível para facilitar o transporte em contentores, com esta configuração é possível poupar nos custos de transporte.

Como faço para saber o tamanho do meu vagão?


O volume necessário depende do tipo de produtos carregados e da sua quantidade, baseado no tipo de receita, o resultado pode variar muito. Por exemplo, se considerarmos um TMR para vacas leiteiras de padrão europeu com uma média de 5 kg de feno seco por cabeça, temos uma capacidade de alimentação de 7 cabeças / m³, se ao invés considerarmos uma receita para a engorda onde na média temos 0,9 kg de palha por cabeça conseguimos alimentar 19 / 20 cabeças por m³. Cálculos mais precisos podem ser realizados avaliando quer as receitas distribuídas quer o número de distribuições a serem feitas durante o dia. Os nossos técnicos encontram-se à disposição para uma avaliação das suas necessidades.

Shop Icon
Lens Icon